Skip to content

Dia 15 faz a revolução!

Setembro 12, 2012

APELO AOS REVOLUCIONÁRIOS PORTUGUESES

ESTÁ NA HORA, CAMARADAS! O governo passista perdeu toda a confiança do povo trabalhador; com ele já só estão os especuladores e os grandes capitalistas que a única solução que apresentam para a crise é ROUBAR O POVO, ROUBAR QUEM NÃO TEM, ROUBAR QUEM TRABALHA! Estes bandidos, estes canalhas – nomes feios, é certo; mas a verdade não é bonita! -, que há uns anos andavam numa azáfama louca para convencer o povo a endividar-se para comprar casa e automóveis, prometendo-lhe juros acessíveis e facilidades nunca vistas, agora vêm dizer que o povo vive acima das suas capacidades! Que a culpa da crise é do povo! Exploram-nos e depois insultam-nos! Não terão vergonha na cara? Quantas famílias fizeram esforços extraordinários para pagar os seus empréstimos? Contando os trocos, fazendo sacríficios para construir um futuro melhor para si e para as gerações futuras. Sim, sacrifícios! Será que os génios da economia esqueceram que Portugal tem dos salários mais baixos da Europa? E o que fizeram os capitalistas com a riqueza produzida pelos trabalhadores? Esbanjaram-na em brincadeiras bolsistas e investimentos de alto risco! O resultado está à vista: todos os bancos estão à beira da falência. E de quem é a culpa? Dos trabalhadores? Dos camponeses? Dos estudantes? Dos reformados? Dos militares? Dos desempregados!? Não, esta dívida não é nossa, A DÍVIDA PERTENCE AOS CAPITALISTAS! ELES QUE A PAGUEM! Não têm dinheiro? Muito bem, prisão com eles! Confisquem-lhes as terras, as casas, os salários! É o que acontece quando alguém não pode pagar uma dívida. Já os ouço a gritar: “Anarquia! Comunistas!” É a histeria do costume, contudo é bem melhor do que ser apelidado de “Fascista”, coisa que sai da boca do povo com uma facilidade incrível quando se fala do governo! Porque será? A quantidade de economistas que olham embevecidos para o trabalho singular de Salazar deve ser uma das razões. Pois é; a democracia e o estado de direito dão muito jeito para os demagogos burgueses mas quando lhes calha serem julgados, não há quem lhes toque! A igualdade é só para o povinho; quem trabalha pode ficar sem habitação, sem educação, sem saúde e sem trabalho (!) que não há problema – é a lei dizem eles -, mas quanto aos patrões e os financeiros que fique bem assente: precisamos deles, eles merecem tudo; são essenciais à vida de um país, à economia, ao bom funcionamento da sociedade; verdadeiros exemplos de conduta moral e abnegação absoluta; sempre a pensar no bem comum e na vida dos mais necessitados. Em suma, é um sem fim de virtudes que se fica a pensar porque raio não conseguem resolver a crise… Faz lembrar a outra que estava à espera da chuva para resolver o problema dos agricultores. Primeiro fizeram-nos crer que a crise era passageira e que não tinhamos nada com isso – muito bem; depois disseram-nos que a crise iria afectar toda a gente e que tinhamos de apertar o cinto – pronto, tem de ser, tem de ser; e agora a crise passageira, que era lá deles, e que seria ultrapassada com os sacrifícios de todos, passou a ser uma crise sem fim provocada pelos trabalhadores que são umas bestas que só sabem gastar o dinheiro e vivem acima das possibilidades – acima do quê? E como? Há um limite para tudo. Os capitalistas além de serem incapazes e incompetentes são mentirosos. Há que correr com eles!

OS CAPITALISTAS NÃO CONSEGUEM RESOLVER A CRISE DO CAPITALISMO. E quem são os capitalistas? Todos os que contribuem para a manutenção do pagamento da dívida; ou seja: PSD, PS, CDS, PCP e BE. Todos eles batem na tecla da dívida, cada um à sua maneira e com as suas cores, mas nenhum deles tem no seu programa o repúdio completo da dívida – nem mesmo o PCP. Então não há ninguém que queira resolver a crise? Há sim, os mesmos partidos que não a querem resolver; e aqui vão algumas das suas propostas milagrosas (!): mais emprego, mais salários, mais investimento, mais produção, mais exportação, mais tempo, mais trabalho, mais democracia, mais europa, mais mais, mais vezes mais, mais a dividir por mais, menos menos, mais capitalismo? Mais crise? Mais do mesmo? E menos dívida? Não? Imagino que deva ser aborrecido a um Seguro ou a um Louçã admitir que os seus partidos são inúteis para Portugal e para o povo trabalhador, tão inúteis como a União Europeia! Se eles não servem, arranjemos outros! Já tiveram tempo de sobra para dar provas do seu valor e hoje pode dizer-se que o seu valor é nenhum. E isto é um facto histórico; Portugal, em 36 anos de governos PSD, CDS e PS continua um país de salários baixíssimos, atrasado, subdesenvolvido e com um problema crónico de dívida pública; todas as medidas tomadas para camuflar os problemas resumiram-se a: FMI, CEE, EURO; meteram cá os pés um por um e agora vêm todos juntos para acabar o serviço. Quem os chamou? Novamente, os imbecis dos capitalistas para resolveram – única e exclusivamente – as suas trapalhadas. Perante isto, é NECESSÁRIO e URGENTE deixar bem claro à classe governante que a Assembleia da República não é propriedade privada de Passos Coelho e do seu partido, nem foi criada para defender os interesses de um pequeno número de patrões e de financeiros; e muito menos os da Sra. Merkel! A Assembleia foi criada para representar o povo porque foi o povo que lutou por ela! OS CAPITALISTAS ESTÃO-SE NAS TINTAS PARA A DEMOCRACIA. Está na altura de acabar com o reinado dos políticos burgueses.

A VERDADEIRA DEMOCRACIA É FEITA PELAS MASSAS! A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA É DO POVO E DOS TRABALHADORES! Não foi para voltar ao capitalismo que o povo saiu à rua em 1974, mas para construir um Portugal Socialista! É preciso voltar a pôr a palavra Socialismo na boca dos trabalhadores e das massas. As medidas socialistas de Abril – nacionalização dos bancos, reforma agrária, salário mínimo – trouxeram mais progresso ao pais do que toda a ladainha da integração europeia. É sob a bandeira revolucionária do Socialismo que devemos mostrar a nossa indignação! Não basta apelar à mobilização popular em grandes manifestações; é preciso lutar, organizar e esclarecer as camadas descontentes da população. A todos os que desejam algo de extraordinário e anseiam por uma revolução: ESTE É O MOMENTO! É preciso perder o medo da política porque os partidos políticos não têm medo das massas apolíticas! As massas apolíticas e/ou sem educação política não têm capacidade para tomar o poder; foi o que aconteceu na Revolução de Abril. Eles não têm medo do punho erguido – eles fazem o mesmo nos seus jantares! Mas experimentem erguer um cartaz a dizer “ABAIXO O GOVERNO” ou “ABAIXO O CAPITALISMO” – é garantido que não dormirão descansados! É caso para dizer que eles estão encurralados, olhem para o sorriso amarelo dos nossos políticos, que podem fazer mais? Nada; apenas mentir e mentir. Então do que estamos à espera? Que Lénine em pessoa surja do nevoeiro socialista montando o cavalo de D. Sebastião? Está mais que visto, que os partidos do governo não sabem o que fazer para conter as massas e que os partidos de esquerda não sabem orientá-las. Arrastam-se os “esquerdistas” em incontáveis manifestações, passeios de fim-de-semana, piqueniques oportunistas, comícios indignados, grevezinhas gerais para quê? Para pedir uns trocos e emprego que não existe? Que tristeza… O resultado das suas lutas está à vista. Se estes polítiqueiros e as suas organizações não sabem orientar as massas e os trabalhadores; façamos nós o trabalho!

NÓS. OS ESTUDANTES, OS INTELECTUAIS, OS DESEMPREGADOS E AS DESEMPREGADAS, OS PRECÁRIOS E AS PRECÁRIAS, TODOS OS VERDADEIROS REVOLUCIONÁRIOS E REVOLUCIONÁRIAS! Já nada nos prende a este regime de ladrões; se as nossas posições estiverem correctas, as massas caminharão, sem hesitar, ao nosso lado. Estendamos a nossa mão à classe operária, à pequena-burguesia revolucionária e aos militares revoltados. Organizemos comités revolucionários em todas as ruas e bairros. Criemos círculos de estudos marxistas em todas as casas e na internet. Alistemo-nos nas organizações políticas e sindicatos existentes para que ouçam a nossa voz. Façamos progaganda adequada nos locais de trabalho, em casa e nas escolas; activamente. Os protestos de rua espontâneos são bons meios de mobilização mas não devemos abusar deste método, pois não passam de manifestações de força inconsequentes que gastam a vontade combativa das massas. Estes protestos devem mover-se sob palavras de ordem concretas, objectivas, que façam eco nas pessoas menos conscientes e as aproximem da luta pela revolução. A manifestação do dia 15 de Setembro deve ser considerada como um teste à combatividade dos trabalhadores e dos revolucionários portugueses; o sucesso desta manifestação pode significar um ponto de viragem na luta pelo derrube deste governo se a ela aderirem elementos da classe operária e das profissões liberais – isto é importante para que os revolucionários portugueses não sejam vistos como rebeldes sem causa! Apontar o dedo à troika é uma posição correcta e todos os portugueses irão ouvir, com atenção, os gritos de indignação, mas não esqueçamos que os partidos parlamentares – incluindo o PSD – também já se queixam da troika! Mas os culpados da troika ter metido os pés em Portugal são ELES: OS CAPITALISTAS DO PSD, CDS E PS. É preciso não esquecer isto, e gritar bem alto no dia 15, no dia 16, 17, 18, 19, 20… ABAIXO O GOVERNO DE PASSOS COELHO! ABAIXO A UNIÃO EUROPEIA! ABAIXO O CAPITALISMO! Gritar quantas vezes for preciso até que o governo dos capitalistas caia. E se voltarem lá, voltaremos a derrubá-los! A luta será difícil mas não estamos sozinhos! Os trabalhadores gregos pagaram bem caro a confiança que deram aos partidos capitalistas de direita, os trabalhadores italianos e espanhóis preparam-se para provar a mesma receita; e a Irlanda e o resto da europa também já sentem o peso do capital. Não há tempo a perder, a União Europeia está podre e o governo de Passos Coelho tem o dias contados; forcemos mais um bocadinho e tudo cairá! O derrube deste governo será apenas o primeiro passo para reconstruírmos Abril! Em 1974 fizemos o capitalismo mundial tremer de medo; e nessa altura estávamos sozinhos! Mas hoje, juntamente, com todos os trabalhadores oprimidos da europa faremos um novo Abril! Um Abril verdadeiramente socialista e internacional! A revolução é possível, camaradas; se marcharmos sob a bandeira vermelha do marxismo revolucionário a vitória será nossa! EM FRENTE PELA CONSTRUÇÃO DA UNIÃO DOS REVOLUCIONÁRIOS PORTUGUESES! VENCEREMOS!

VIVA O 15 DE SETEMBRO!

VIVAM OS REVOLUCIONÁRIOS PORTUGUESES!

VIVAM O SOCIALISMO E OS ESTADOS UNIDOS SOCIALISTAS DA EUROPA!

ABAIXO O GOVERNO DE PASSOS COELHO!

QUE SE LIXE TROIKA!

A Chinesa
12 de Setembro de 2012

Anúncios

From → O Tudo e o Nada

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: